Uma coisa não é outra coisa / Catequese com José Maria Vieira Mendes

Uma coisa não é outra coisa / Catequese com José Maria Vieira Mendes

UMA COISA NÃO É OUTRA COISA
Catequese com José Maria Vieira Mendes

14 de dezembro | 18h Teatro é literatura é teatro
15 de dezembro | 18h Teatro não é literatura não é teatro
16 de dezembro | 18h Uma coisa não é outra coisa
duração aprox. 1h
participação gratuita limitada aos lugares existentes | sugere-se inscrição prévia

Três aulas e conversas com José Maria Vieira Mendes sobre história do teatro, literatura dramática, relações entre coisas e sobre preconceitos e preponderâncias, mitos, moralismo, diferenças e liberdade.

“Poder-se-á suspeitar que pretendo encontrar o significado justo e que é por esse motivo que despisto significados. Se assim fosse, o objetivo seria o mesmo de quem arranca tudo o que é daninho para deixar ver o que importa. Não é essa no entanto a tarefa a que me proponho. Quando arranco ervas, é para que outras possam crescer, quando apago ou faço hibernar significados, é para que outros significados possam emergir.”

José Maria Vieira Mendes

CATEQUESE é um título que alberga oficinas, conferências e atividades de diferentes formatos do Teatro Praga, que tiveram início em 2011. Ponto comum, a vontade de ser um momento de reflexão, misto de intimidade dubitativa e pregação intolerante, completada por períodos de acção, em espírito grego, e saltos artísticos. É um prelúdio de universidade inspirada no mestre ignorante e não no sábio decano amedrontado. Joga-se no campo da comunicação sem garantias. Dos participantes espera-se iniciativa crítica e vontade de adorar.

/ sobre josé maria vieira mendes

Escreve e traduz para teatro. Traduziu peças de Beckett, H. Müller, Fassbinder, René Pollesch, Noel Coward e B. Brecht, etc. Escreveu as peças Dois Homens , T1, A minha mulher, O Avarento ou A última festa, Ana, Paixão Segundo Max, Padam Padam, Um mais um, Terceira idade e Bilingue, entre outras, e dois libretos para óperas de Nuno Côrte-Real e António Pinho Vargas. Escreveu também textos para o artista plástico Vasco Araújo. As suas peças estão traduzidas e publicadas em mais de uma dezena de línguas, com produções no Brasil, Espanha, Alemanha, Suécia e Áustria. Dirige workshops e participou em conferências sobre o seu trabalho não apenas em Portugal mas também no estrangeiro. Desde que se juntou ao Teatro Praga, em 2008, colaborou em praticamente todas as criações. Foi distinguido, entre outros, com o Prémio Revelação Ribeiro da Fonte 2000, Prémio ACARTE/Azeredo Perdigão 2000 e Prémio Luso-Brasileiro de Dramaturgia António J. da Silva 2006. Terminou recentemente a sua tese de doutoramento no programa de Teoria da Literatura da Universidade de Lisboa em parceria com o programa Inter-Arts na Freie Universität em Berlim e o Departamento de Filosofia da Linguagem da Universidade Nova de Lisboa.

/ / / /
inscrições até 11 de dezembro | 912 191 940 | ruadasgaivotas@teatropraga.com
Em caso de sobrelotação, dá-se preferência a quem puder estar nas três sessões.

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*