MEMÓRIA INDIVIDUAL EXPLÍCITA OU IMPLÍCITA / FIlipa Matta

MEMÓRIA INDIVIDUAL EXPLÍCITA OU IMPLÍCITA / FIlipa Matta
29/07/2015 Rua das Gaivotas 6

MEMÓRIA INDIVIDUAL EXPLÍCITA OU IMPLÍCITA
Filipa Matta

17-19 março ’17 | sexta-domingo | 21h30
5€ [bilhete normal] | [dur: 60min] | M/14

 

Este talvez seja um projecto mentiroso. É sobre encontros, e de como esses encontros/momentos/acontecimentos formam a nossa identidade por terem uma permanência, inconsciente, no corpo. A memória é o elemento, ou ferramenta que me serviu para pensar sobre este processo de troca. A pesquisa começa na produção de elementos para não esquecer, para poder registar tudo o que possa fazer falta. Queria perceber que mecanismo é esse, o que acontece fisicamente para que uma relação seja estabelecida neste contrato em que nos refletimos infinitamente no outro e o outro se reflete infinitamente através de nós. É a formação deste movimento circular de relações que revela a dependência de outrem para poder existir e confirmar a nossa verdade pessoal e intransmissível, a memória (o monumento).

Os nossos gestos, movimentos, palavras, discursos e ideias modificam-se nesta relação? Quem sou eu sozinha? Quem sou eu em relação ao outro? O que resta de outros em mim? O que é que me pertence? De que maneira é que lidamos com a nossa memória, com o que resta, com o que fica daquilo que morre, que figuras, objetos, sombras resultam? Como encaixar outros corpos nessa memória, nessa ruína? Por acumulação? Por apropriação? Construção? Reconstrução? Somos transportados para a memória ou é a memória que nos transporta?

– O que resta desse/desses encontro(s)? : “O que é que resta? A memória e a arquitetura.” –

 

/ ficha artística e técnica

Criação/Interpretação/Produção Filipa Matta
Luz Jorge Rosado
Som Pedro Costa
Figurino Diogo Gouveia

/ biografias aqui

 

/ / / /
marcações e reservas
bilheteira abre 1h antes do início do espetáculo
912 191 940 (reservas entre as 16h e as 20h, em dia de espetáculo até à hora de início do mesmo) ruadasgaivotas@teatropraga.com

 

INDIVIDUAL MEMORY EXPLICIT AND IMPLICIT
Filipa Matta

March 17-19 2017 | friday to sunday | 9.30pm
5€ [normal ticket] |[dur: 60min] | M/14

 

This may be a liar project. It’s about dating, and how these meetings / moments / events form our identity because they have a permanence, unconscious, in the body. Memory is the element, or tool used to think about this process of exchange.

The research begins in the production of elements to not forget, in order to register all that you may need. I wanted to realize what this mechanism is, what happens physically for a relationship to be established in this contract in which we reflect infinitely on the other and the other reflects infinitely through us. It is the formation of this circular movement of relationships that reveals the dependence of the other, in order to exist and confirm our personal and non-transferable truth, the memory (the monument).

Our gestures, movements, words, speeches and ideas change in this relationship? Who am I alone? Who am I in relation to the other? What remains of others in me? What does it belong to me? In what way do we deal with our memory, with what remains, with what is left of what dies, what figures, objects, shadows result? How to fit others bodies in this memory, in this ruin? By accumulation? By appropriation? Construction? Reconstruction? We are transported into memory or it is the memory that transports?

– What’s left of this / these meeting(s)? : “What is left? Memory and architecture. “-

 

/ credits

Creation/Performance/Production Filipa Matta
Light Design Jorge Rosado
Sound Pedro Costa
Costume Design Diogo Gouveia

/ biographies here

 

/ / / /
bookings
Ticket office open 1h prior to the beginning of the performance
(+351) 912 191 940 (week days from 4pm to 8pm, on performance days from 4pm until its beginning) ruadasgaivotas@teatropraga.com